terça-feira, 1 de março de 2011

Filmes de fevereiro


1. A Noite do Demônio (Jacques Tourner, Reino Unido, 1957) ***

2. Adeus, Meninos (Louis Malle, França/AlemanhaOcidental/Itália, 1987) ***½

3. O Bom Coração (Dagur Kári, EUA/Dinamarca/Islândia/França/Alemanha, 2009) ***½

4. Dieta Mediterrânea (Joaquín Oristrell, Espanha, 2009) **

5. Biutiful (Alejandro González Iñárritu, México/Espanha, 2010) **

6. Os Profissionais (Richard Brooks, EUA, 1966) ***½

7. Cisne Negro (Darren Aronofsky, EUA, 2010) ****

8. O Mágico (Sylvain Chomet, França/Reino Unido, 2010) ***½

9. O Concerto (Radu Mihaileanu, França/Rússia/Itália/Romênia/Bélgica, 2009) *½

10. Splice – A Nova Espécie (Vincenzo Natali, Canadá/EUA/França, 2009) *

11. Beatrice Cenci (Lucio Fulci, Itália, 1969) ***½

12. Era Uma Vez em Tóquio (Yasujiro Ozu, Japão, 1953) ****

13. O Vencedor (David O. Russel, EUA, 2010) ****

14. Santuário (Alister Grierson, EUA/Austrália, 2011) **

15. Hatari! (Howard Hawks, EUA, 1962) **½

16. Arizona Nunca Mais (Joel e Ethan Coen, EUA, 1987) ***½

17. Meu Tio (Jacques Tati, França/Itália, 1958) ***

18. Na Roda da Fortuna (Joel e Ethan Coen, EUA/Reino Unido/ Alemanha, 1994) **½

19. O Discurso do Rei (Tom Hooper, Reino Unido/EUA/Austrália, 2010) **½

20. Bravura Indômita (Joel e Ethan Coen, EUA, 2010) ***½

21. O Ritual (Mikael Håfström, EUA, 2011) **

22. Burlesque (Steve Antin, EUA, 2010) **

23. Um Doce Olhar (Semih Kaplanoglu, Turquia/Alemanha, 2010) ***½

24. Enterrado Vivo (Rodrigo Cortés, EUA/Espanha/França, 2010) ****

25. Film Socialisme (Jean-Luc Godard, França/Suíça, 2010) **

26. Um Homem com Uma Câmera (Dziga Vertov, União Soviética, 1929) *****

27. Tempo de Embebedar Cavalos (Bahman Ghobadi, Irã, 2000) ***½

28. Três Reis (David O. Russel, EUA/Austrália, 1999) ***½

29. Dias de Ira (Carl Theodor Dreyer, Dinamarca, 1943) ****

30. Dente Canino (Giorgos Lanthimos, Grécia, 2009) *½

31. Exit Through the Gift Shop (Banksy, Reino Unido/EUA, 2010) ****

32. 127 Horas (Danny Boyle, Reino Unido/EUA, 2010) **

33. Fora da Lei (Rachid Bouchareb, França/Argélia/Bélgica, 2010) ***

34. Reino Animal (David Michôd, Austrália, 2010) ***


Revisões:

35. Marcas da Violência (David Cronenberg, EUA/Alemanha, 2005) ****½

36. Toy Story 3 (Lee Unkrich, EUA, 2010) ****


7 comentários:

ANTONIO NAHUD JÚNIOR disse...

Rafael, que filme é esse: BEATRICE CENCI, de Lucio Fulci? Que tal?

www.ofalcaomaltes.blogspot.com

Wallace Andrioli Guedes disse...

Bela lista, hein! Vamos às minhas cotações:

ADEUS, MENINOS - *** (esperava muito mais desse filme)

CISNE NEGRO - *****

O DISCURSO DO REI - ***

BRAVURA INDÔMITA - ***** (filme lindo, comovente, melancólico e subestimado)

ENTERRADO VIVO - ***

FILM SOCIALISME - **** (é um filme
difícil, mas é um Godard ousado e inventivo aos 80 anos de idade! acho admirável, por mais que necessite de ser revisto algumas vezes)

TRÊS REIS - ***** (preciso rever, mas tenho uma lembrança muito positiva desse filme)

127 HORAS - ***

MARCAS DA VIOLÊNCIA - ***** (esse aqui é um dos meus filmes favoritos de todos os tempos)

TOY STORY 3 - ***** (obra-prima linda, um dos melhores dentre os indicados a melhor filme esse ano)

Gustavo disse...

Ugh, estou querendo ver SPLICE, mas talvez seja melhor ficar com as anteninhas ligadas.

Em comum:

MARCAS DA VIOLÊNCIA: *****
TRÊS REIS: **
NA RODA DA FORTUNA: ****
ERA UMA VEZ EM TÓQUIO: ***
OS PROFISSIONAIS: ****
ADEUS MENINOS: ****

Rafael Carvalho disse...

Antonio, esse filme eu acabei vendo por acaso numa sala alternativa em Salvador. Muito legal o filme, é um drama histórico sobre uma moça que, tiranizada pelo pai, planeja a morte dele. E eu que não conheço praticamente nada do Fulci fiquei animado para buscar mais coisas dele.

Ual Wallace, quantas notas máximas!! Também esperava mais de Adeus, Meninos, assim como de Bravura Indômita, muito por ser dos Coen, achei o filme muito sem a cara deles. Eu ando meio cansado desse experimentalismo do Godard que não me diz muita coisa. E por que essa nota pra Enterrado Vivo? O filme é de uma tensão incrível,
e faz isso com muito pouco.

Gustavo, Splice é até então meu pior filme do ano. Cuidado!! Acho Três Reis um filme arriscadíssimo, entre o humor negro e a mais dura força dramática. Era Uma Vez em Tóquio me ganha pela ultra simplicidade.

bruno knott disse...

Cara, que pena que você não curtiu Biutiful. Foi um filme que me marcou bastante.

E a propósito, realmente preciso ver Enterrado Vivo!

Alex Gonçalves disse...

Vamos checar o que vi:

Biutiful - ***
Cisne Negro - ***
Splice – A Nova Espécie - ***
O Vencedor - ****
O Discurso do Rei - ***
Bravura Indômita - ***
Um Doce Olhar - *
Enterrado Vivo - ***
127 Horas - ***
Reino Animal - ***

Marcas da Violência - ***
Toy Story 3 - ****

Rafael Carvalho disse...

Pois é, Bruno. Acho que o filme tem muito potencial, mas se atrapalha com tantas subtramas mal desenvolvidas e gratuitas. Enterrado Vivo é filme de sensação, recomendadíssimo.

Alex, não sei como consegiu gostar tanto assim de Splice e de 127 Horas. Já Um Doce Olhar merecia mais crédito, mas realmente não é um filme fácil para se gostar de cara. E velho, Marcas da Violência é um filmaço, aumenta essa nota aí, rsrs