terça-feira, 13 de janeiro de 2009

À Procura da emoção

Sete Vidas (Seven Pounds, EUA, 2008)
Dir: Grabriele Muccino

Sete Vidas é o típico filme de “emoção” em que deixar o espectador com lágrimas nos olhos parece ser a principal preocupação dos realizadores. É também um filme que, para manter a atenção das pessoas na tela, investe em misteriosas atitudes do protagonista deixando para o final as explicações e forjando no espectador um sentimento de compaixão pelo personagem principal.

Ben Thomas (Will Smith) é mostrado como um auditor fiscal que, a pretexto de visitar devedores do Imposto de Renda, tenta ajudar aqueles que mais passam por problemas na vida. As motivações dele parecem estar relacionadas com um acidente de carro e a perda da esposa, mas isso só se torna claro no fim, embora essa “surpresa” vá ficando um tanto evidente antes da revelação final.

Mas o filme é mais problemático quando apela para o maniqueísmo na hora em que Ben precisa encontrar pessoas “boas”, merecedoras de ajuda. Logo no início Ben ridiculariza um cego por telefone (interpretado por Woody Harrelson) e como ele não reage às provocações, já pode ser considerado uma pessoa “boa” (como se alguém que se irritasse, por uma justa causa, não fosse digna de receber socorro).

Porém, quando Emily (Rosario Dawson) surge como a bela garota que precisa de um transplante de coração e ainda possui tantos sonhos para se conquistar na vida, essa sim, está aprovada. Tanto que logo de cara a reconhecemos como o interesse romântico do protagonista.

O mais decepcionante do filme não é nem ele ser tão forçado na sua busca por compaixão, mas por vir do diretor italiano Grabriele Muccino que já conseguiu nos emocionar muito e genuinamente como o anterior À Procura da Felicidade (O Último Beijo, outro filme dele, realizado na Itália, também é outro ótimo exemplo).

Já o trabalho de Will Smith (astro mais bem pago de Hollywood atualmente) melhora muito a experiência, numa atuação cheia de caras, bocas e expressões de pena, mas nunca deslocadas ou exageradas; ele busca a emoção na medida certa e nos momentos oportunos. Algo que o resto do filme não consegue administrar.

10 comentários:

Filipe Machado disse...

Obrigado pela visita ao Additoinal Camera. Levei também o teu link. Um abraço!

Vinícius P. disse...

Todos falando muito mal desse filme, não vi uma opinião positiva até agora. Já não gosto da parceira entre o diretor e o astro, dessa então quero passar longe. Abs!

Vulgo Dudu disse...

Tô fora. Como diz meu irmão: "Quer chorar? Vai pra um velório!"

Abs!

fabiana disse...

Eu adorei A procura da Felicidade, mas nem por isso me interessei por esse aí. Quem sabe quando saír em DVD!

Diego Rodrigues disse...

Não vi ainda, mas eu gostei de À Procura da Felicidade. Não é o melhor filme dos últimos tempos, mas é bom.

Se tiver um tempinho, procurarei ver 7 Vidas.

Wallace Andrioli Guedes disse...

Me decepcionei bastante com Sete Vidas, acho o filme todo uma grande forçada de barra ... o Smith tá até bem, e concordo contigo, vindo do Muccino, esse filme é bastante frustrante.

Rafael Carvalho disse...

Valeu Felipe, apareça aqui sempre.

Também só vejo falarem mal do filme Vinícius, e com razão, embora eu goste da parceria anterior dos dois.

Realmente Dudu, filme feito pra fazer a gente chorar. Abre o jornal que tem um monte de desgraça para ter o mesmo efeito.

Fabiana, me interessei por esse aqui justamente porque gostei de À Procura da Felicidade, mas o talento aqui não se repetiu.

Então Diego, o primeio filme dos dois juntos é até legal. Talvez você goste desse aqui também.

Wallace, aí fica a dúvida se o Muccino é mesmo um diretor fraco (que pegou uma boa história para dirigir antes que é o ótimo À Procura da Felicidade), ou essa é só uma pisada na bola. Agora é esperar o próximo filme dele.

Vinicius Silva disse...

O maior problema desse "Sete Vidas" é esta tentativa frustrada de querer emocionar. Odeio quando a narrativa leva pra esse lado. Sem contar que a obra cai no óbvio, os diálogos são forçados e a maior brincadeira é ficar imaginando o que o outro vai dizer naquela cena. A atuação de Will Smith, como era de se esperar, é muito boa e por isso conquista o público. Afinal de contas, o cara é super carismático.

abraços.

flavinha disse...

eu gostei.
Will Smith tá cada dia melhor...
aliás... will smith, di caprio , pitt são caras que tão amadurecendo muito em suas atuações (na minha humilde opinião, claro... hehheeh)
mas gostei e indicaria p qlquer pessoa!!
=D

Rafael Carvalho disse...

Tudo bem Flavinha, eu é que não consigo me envolver tanto com a história! E o Smith está mesmo muito bem, na verdade sempre gostei dele como ator. Assim como gosto das atuações do DiCaprio (que melhorou muito depois que começou a trabalhar com Martin Scorsese) e do Pitt.
Bjs e valeu por aparecer por aqui!!