segunda-feira, 29 de junho de 2009

Mais curtinhas

Procedimento Operacional Padrão (Standart Operating Procedure, EUA, 2008)
Dir: Errol Morris


Primeiro documentário a ser incluído na competição do Festival de Berlin, em 2008, Procedimento Operacional Padrão (vencedor do Grande Prêmio do Júri) se concentra nas barbaridades que o exército norte-americano praticava com detentos da prisão iraquiana de Abu Ghraib, durante a Guerra do Iraque. Os fatos vieram à tona por conta das absurdas fotos de tortura e humilhação que foram divulgadas pela mídia, escandalizando o mundo e denegrindo de vez a imagem das Forças Armadas dos EUA. O filme faz um apanhado mais amplo da situação e mostra como as fotos (e também as torturas) não se limitaram às mostradas em rede mundial. Interessante notar como a maioria dos depoimentos são dos soldados que tiraram ou participaram das foto e consequentemente foram julgados (com penas bem variadas e nem todas tão justas). Assim, somos apresentados a pontos de vistas que não se eximem da culpa, mas transparecem a crueldade irracional daqueles atos, muito embora não se esconda que a situação era largamente conhecida por todos, inclusive pelas altas patentes militares. Porém, mesmo com um tema de grande relevância, o documentário não passa do convencional e só prende a atenção pelos depoimentos, como os de Lynndie England que acabou se tornando a mais conhecida pelas fotos (ela aparece puxando um prisioneiro pela coleira numa delas). Há algumas pequenas dramatizações no filme, mas nunca soam com ar de artificialidade. Se uma imagem vale mais do que mil palavras, imagina o quanto mais de mil imagens são capazes de dizer.


30 Dias de Noite (30 Days of Night, Nova Zelândia/EUA, 2007)
Dir: David Slade


30 Dias de Noite é um embuste. O roteiro tenta manipular uma atmosfera de terror ao mesmo tempo se esforçando para o espectador não perceber os furos de roteiro deixados pelo caminho. Um deles diz respeito a um ponto central do filme: a passagem do tempo. Em Barrow, no Alasca, durante o inverno, a cidade permanece 30 dias sob total escuridão; num desses períodos, o local vai ser atacado por uma leva de vampiros, sedentos de sangue, forçando as pessoas a se esconderem o máximo possível. Por mais que os vampiros tenham poderes sobre-humanos, a narrativa possui elipses de tempo de 10 dias em que nada acontece, já que os personagens são encontrados na mesma situação. Então, qual o perigo que essas criaturas oferecem? Isso diminui bastante a força dramática do filme que não consegue transmitir um tom de perigo. Eben (Josh Hartnett) é o xerife local que vai tentar enfrentar as criaturas e ainda salvar sua ex-mulher da ameaça mortal. De fato, uma experiência vazia a quem busca bons sustos.


Se Eu Fosse Você 2 (Idem, Brasil, 2008)
Dir: Daniel Filho


O pior em relação a esse filme é que eu até dei umas risadas durante a projeção. Mas quando a gente sai do cinema e põe a mão na consciência, percebe o quanto de descabimento existe numa história que forja o riso o tempo todo, numa repetição do que Daniel Filho já havia feito no filme anterior. Temos aqui a mesma história do casal Helena e Cláudio (Glória Pires e Tony Ramos, bons atores) que troca de corpos. Daí surgem as caricaturas mais óbvias da mulher durona e do homem afeminado, esse último o mais adorado pelo público pois as pessoas ainda conseguem ver graça num homem se comportando como mulher. Mas é aí que o filme revela um erro crasso: Helena, quando ainda estava em seu corpo, não era afeminada como quando passa a ocupar o corpo de Cláudio. Mas isso não parece preocupar os roteiristas porque a graça está nos trejeitos, e quase ninguém percebe isso. O filme precisa disso para arrancar risos escrachantes da plateia. A maior frustração, no entanto, é pensar que esse é o filme brasileiro mais assistido da pós-Retomada. A força do cinema nacional reside nos filmes mais alternativos, tipo de obra que passa longe do grande público.

8 comentários:

Gustavo disse...

Rafael, prefiro a morte a ver alguma outra coisa do diretor do abjeto HARD CANDY! Ainda mais se a coisa só oferece sustos e nada mais.

Em tempo: tem selo para você no CineLog! ;)

Cumps.

Filipe Machado disse...

Até gostei de 30 Dias de Noite. Apesar de não oferecer nada de novo, passa-se um bom momento de cinema fantástico.

Antonio Brás Constante disse...

Olá jovem de toda e qualquer idade,

Apesar de ser um escritor 100% desconhecido por você (e talvez este ar de mistério aguce a sua curiosidade), se me conceder os próximos 5 minutos de seu tempo como leitor, isto poderá mudar de uma forma gratificante para nós dois.

Pelo que percebi, você gosta de postar textos interessantes em seu blog, sendo assim, somente peço que conheça as minhas pérolas textuais, e caso goste, divulgue-as em seu Blog. Inicialmente gostaria de convidá-lo para conhecer meu livro: “Hoje é seu aniversário – PREPARE-SE” (Autor: Antonio Brás Constante).

Breve resumo super resumido da obra: Livro de Crônicas, que pretende ser um genérico ao do escritor Luis Fernando Veríssimo (também sou fã do Veríssimo), ou seja, autor diferente, mas com o mesmo princípio ativo: O HUMOR. Os textos são temperados com generosas pitadas humorísticas, para jovens dos oito aos oitenta anos e também de outras faixas etárias. Textos leves e similares a uma ave-maria (pois eles também são cheios de graça), que poderão ser saboreados até a última letra. Caso queira conhecer um pouco mais sobre meu trabalho como escritor basta acessar o site: Recantodasletras.uol.com.br/autores/abrasc

Os exemplares do livro poderão ser adquiridos no site da editora AGE: www.editoraage.com.br

Resolvi viajar pelos perfis deste imenso universo virtual chamado de BLOG, divulgando minha obra e conhecendo novas pessoas (virtualmente falando). Espero sua visita em meu perfil. Contatos pelo e-mail: abrasc@terra.com.br . Um grande abraço, tão grande quanto à distância entre nossos braços. ABC

P.S: Se eu já passei por aqui e deixei este recado me desculpe, mas foi pq acabei andando em círculos...

Wallace Andrioli Guedes disse...

Poxa, gosto do 30 Dias de Noite, acho que tem um clima muito bem construído, e um ótimo vilão...
Se Eu Fosse Você 2 eu não assisti ainda, pq tenho uma imensa resistência a esse tipo de cinema nacional (e acho o primeiro bem fraco). Mas uma hora ou outra vou acabar encarando. De qualquer forma, adorei seu texto sobre o filme, expressa exatamente o que eu também sinto sobre os rumos do cinema nacional atual.
Ah, e quero muito ver Procedimento Operacional Padrão...

Diego Rodrigues disse...

Não vi o 30 Dias de Noite nem o Se eu Fosse 2 (esse último eu já vou me encarregar de asistir ainda essa semana, creio). Mas tenho curiosidade com o filme vampiresco.

Enquanto o Procedimento Operacional é bom, mas não passa disso.

Vulgo Dudu disse...

Uau, três filmes sobre o horror. O primeiro, sobre o horror da guerra. O segundo, sobre o horror dos zumbis. E o terceiro porque é um horror mesmo.

Abs!

Vinicius Silvs disse...

Olá, Rafael, quanto tempo...

tem um selo pra você no meu blog, espero que você ainda não tenha recebido...

abraços!

Rafael Carvalho disse...

Caramba Gustavo, eu gosto bastante de Hard Candy, acho surpreendente. E a Page tá sensacional! Valeu pelo selo!!

É Filipe, para mim não foi nada fantástico. Mesmo!

Ok Antônio!

Wallace, nem me lembro direito do vilão; mal sinal, então. Realmente é um filme que não me desce. O Se Eu Fosse Você 2 também assisti só para tirar a prova de que era mesmo uma bomba.

Então Diego, vá preparado para rir das mesmas piadas em Se Eu Fosse Você 2. 30 Dias de Noite nem uns sustinhos eu garanto.

Ual, ótima observação Dudu. Isso que é um cinéfilo perspicaz! Assino em baixo do que disse.

Pois é Vinícius, muito tempo mesmo. Recebi esse selo sim, mas nunca é demais. Valeu aí pela lembrança!!!