segunda-feira, 17 de setembro de 2007

A graça da tosquice

Saneamento Básico – O Filme (Idem, BRA, 2007)
Dir: Jorge Furtado



Sem dúvida Saneamento Básico é o filme mais metalingüístico lançado nos cinemas nacionais este ano. É cinema brasileiro de qualidade abordando os vários processos que passam pela produção de uma obra cinematográfica da forma mais engraçada possível.

Numa pequena vila gaúcha, o sistema de tratamento de esgoto precisa urgentemente da construção de uma fossa. O único dinheiro, no entanto, que a prefeitura dispõe é uma verba destinada à realização de um vídeo de ficção. Assim, surge a idéia de fazer um filme sobre a obra justamente para que a obra seja realizada. O problema todo é a feitura do vídeo cujos roteiro, direção, atuações, cenografia, figurino, tudo deve ser feito pelos próprios moradores.

Furtado se utiliza do próprio filme para discutir, com humor inteligente, as dificuldades e etapas que permeiam a realização de um filme: a feitura do roteiro, escolha dos atores ideais, locação, e claro montagem, mesmo que aqueles personagens não façam a menor idéia da importância de cada uma dessas etapas. O resultado então é uma coisa tosca, estranha e, justamente por isso, hilária (a forma como as falas são ditas no vídeo é de morrer de rir).

O elenco dá um show de interpretação aliado ao ótimo texto do próprio Furtado. Fernanda Torres e Wagner Moura utilizam toda a expressão corporal em benefício do humor (a dancinha do mostro é hilária e percebam como o olhar dela é expressivo). Camila Pitanga se mostrou uma ótima escolha para viver a "estrela" burrinha que só quer vender sua imagem e Lázaro Ramos aparece como o alter ego do Furtado.

Este filma tudo com muita segurança e desenvolve muito bem cada um de seus personagens. Originalidade é sua marca registrada e isso não falta no filme. Ele cria alguns planos-sequências estáticos, por exemplo, que privilegiam o texto e as atuações, confiando totalmente nesses dois quesitos. Com simplicidade e inteligência, Saneamento Básico é uma das melhores comédias brasileiras do ano.

PS: Um pouco depois do lançamento do filme, assisti na TVE uma entrevista do Jorge Furtado no programa Roda Vida. Dentre outras coisas, ele acentuou a importância de se investir dinheiro público na produção cinematográfica, mesmo sendo cara e sendo o Brasil um país com tantos problemas de infra-estrutura. Assunto complicado.

5 comentários:

Flávia Mota disse...

Dizer que gosto do seu texto nao é novidade! Dizer q te admiro é pouco! Então, o q eu posso dizer? hahahahahaahha Já sabe né?
vc é FANTÁSTICO!
Espero ter memória suficiente pra acessar com frequencia esse novo (e agradabilíssimo) espaço.
Parabéns pela iniciativa.

Patricia disse...

Realmente, Saneamento Básico é um filme muito gostoso de assistir. Sou fanzona de Jorge Furtado como roteirista e como diretor não deixa muito à desejar. Os personagens foram muito bem construídos, exceto Bruno Garcia que ficou meio apagado, o restante do elenco nem precisa comentar, são maravilhosos e figuras carimbadas do diretor ( o que facilita bastante ) A inocência e a ignorância dos personagens foi o que mais me encantou. Adorei!!!

Parabéns pelo blog!!!

Wanderley Teixeira disse...

Primeira visita na casa nova e espero que seja a primeira de muitos.Vida longa ao Moviola Digital!
Bom , Saneamento Básico junto com Baixio das Bestas foi o lançamento nacional mais interessante do ano.E estávamos precisando já que 2006 não foi um ano muito inspirador para o Cinema Nacional.De fato Wagner e Fernanda estão excelentes e tem uma ótima química.Fora Paulo José e Tonico Pereira.Acho que o mais interessante nessa metalinguagem toda é a forma como os personagens que naum tinham nehhuma familiaridade pelo cinema se apaixonam pela linguagem cinematográfica.Muito bom!

Cine Oba! disse...

Eu fiquei feliz com a separação!

hehehehehe

Ganhamos mais um blog de qualidade na net!

Em nome do Cine Ôba, desejo boa sorte!


Gustavo Madruga

Andressa Cangussú disse...

É...num gosto nem de pensar que esse filme passou que nem um foguete pelo Moviecom!
Pior ainda é pensar q os filmes ruind ficam aqui uma eternidade!
Mas é isso mesmo, assim que tiver uma oportunidade assistirei!

Otimo texto colega!!!

No seu ex-blog já temos a crítica de Paranóia e o link pro Moviola!

Abraços!