quinta-feira, 3 de fevereiro de 2011

Filmes de janeiro

1. O Homem que Fazia Chover (Francis Ford Coppola, EUA, 1997) ****

2. A Humanidade (Bruno Dumont, França, 1999) **

3. Contos de Nova York (Martin Scorsese, Francis Ford Coppola e Woody Allen, EUA, 1989) ***½

4. Ovo (Semih Kaplanoglu, Turquia, 2007) **

5. Leite (Semih Kaplanoglu, Turquia/França/Alemanha, 2008) **

6. 5X Favela – Agora por Nós Mesmos (Cacau Amaral, Cadu Barcelos, Luciana Bezerra, Manaira Carneiro, Rodrigo Felha, Wagner Novais e Luciano Vidigal, Brasil, 2010) ***

7. A Malvada (Joseph L. Mankiewicz, EUA, 1950) ****½

8. O Martírio de Joana D’Arc (Carl Theodor Dreyer, França, 1928) ****½

9. Intrigas de Estado (Kevin Macdonald, EUA/Reino Unido/França, 2009) ***

10. O Garoto de Liverpool (Sam Taylor-Wood, Reino Unido/Canadá, 2009) ***½

11. O Sétimo Continente (Michael Haneke, Áustria, 1989) **½

12. O Vampiro (Carl Theodor Dreyer, Alemanha, 1932) ***½

13. Alien, O Oitavo Passageiro (Ridley Scott, EUA/Reino Unido, 1979) ****

14. A Palavra (Carl Theodor Dreyer, Dinamarca, 1955) *****

15. Bonequinha de Luxo (Blake Edwards, EUA, 1961) *****

16. Mulheres e Luzes (Federico Fellini, Itália, 1950) ***

17. 72 Horas (Paul Haggis, EUA/França, 2010) **

18. Enrolados (Nathan Greno e Byron Howard, EUA, 2010) ***

19. E La Nave Va (Federico Fellini, Itália/França, 1983) ***

20. Eternamente Sua (Apichatpong Weerasethakul, Tailândia/ França, 2002) ***½

21. As Férias do Sr. Hulot (Jacques Tati, França, 1953) ***

22. Bravura Indômita (Henry Hathaway, EUA, 1969) ***

23. Síndromes e Um Século (Apichatpong Weerasethakul, Tailândia/França/Áustria, 2006) ***½

24. Além da Vida (Clint Eastwood, EUA, 2010) ***½

25. Lixo Extraordinário (Lucy Walker, João Jardim e Karen Harley, Reino Unido/Brasil, 2010) **½

26. A Árvore (Julie Bertuceli, Autrália/França/Alemanha/Itália, 2010) **

27. Moscou, Bélgica (Christophe Van Rompaey, Bélgica, 2008) ***½

28. O Turista (Florian Henckel von Donnersmarck, EUA/França, 2010) *

29. As Viagens de Gulliver (Rob Letterman, EUA, 2010) *

30. Amor e Outras Drogas (Edward Zwick, EUA, 2010) **½


Revisões:

31. Drácula de Bram Stoker (Francis Ford Coppola, EUA, 1992) ****

32. Encontros e Desencontros (Sofia Coppola, EUA/Japão, 2003) ****½

33. Mal dos Trópicos (Apichatpong Weerasethakul, Tailândia/ França/Alemanha/Itália, 2004) ****½


4 comentários:

Gustavo disse...

Quando você publicar, vou dar uma olhada na sua crítica de A PALAVRA e A MALVADA, filmes clássicos mas cuja essência eu não consegui captar. Às vezes, ler outras opiniões auxilia na apreciação de certos filmes.

Em comum:
A MALVADA: ***
JOANA DARC: ****
A PALAVRA: ****
ALIEN: *****
DRÁCULA: ****
BRAVURA: ***
ENCONTROS: ***

ANTONIO NAHUD JÚNIOR disse...

Olá, Rafael, ando pensando numa conexão de comentários entre blogueiros que admiramos. Seria uma forma de incentivar o intercâmbio de idéias, favorecendo a blogsfera cinéfila. A cada post seu eu faria um comentário, e vice-versa. Sempre com sinceridade. O que acha? Vamos iniciar?
Abraço bom,

www.ofalcaomaltes.blogspot.com

Wallace Andrioli Guedes disse...

Vamos lá:

O Homem que fazia chover - ***
5x Favela - ***
A Malvada - *****
O Sétimo Continente - ***
Alien - *****
Bravura Indômita - ***
Além da Vida - ****
Lixo Extraordinário - ****
Drácula de Bram Stoker - *****
Lost in Translation - *****

Dos outros filmes, confesso que me envergonho de não ter assistido ainda BONEQUINHA DE LUXO, e de não ter encarado o cinema do Dreyer (tenho JOANA D'ARC aqui em casa, mas nunca assisti) e o do Apichatpong (também tenho MAL DOS TRÓPICOS aqui). De resto, alguns filmes que eu talvez assista, mas sem grandes expectativas, como 72 HORAS, O GAROTO DE LIVERPOOL e AMOR E OUTRAS DROGAS.

Rafael Carvalho disse...

Gustavo, devo escrever sim sobre A Palavra (sobre A Malvada, nao sei dizer). Mas os filmes sao maravilhosos. A Palavra conseguiu me emocionar com uma história até certo poto bastante religiosa, justo comigo que nao sou nem um pouco ligado à religiao. E o filme é densíssimo. E suas 3 estrelas para A Malvada é... malvadez, nao? Assim como para Encontros e Desencontros, com seu naturalismo e simplicidade refrescantes.

Antonio, nao posso lhe prometer uma parceria assim pois às vezes o tempo é muito carrasco comigo e nao sei se consiguiria firmar um acordo dessa natureza. Com certeza, gostaria muito de poder visitar com maior frequência os blogs amigos, o seu incluso, mas vou fazedo isso à medida do possível. Até para responder os comentários aqui do blog eu demoro um pouco. Mas aparecerei mais vezes n´O Falcao Maltês, pode aguardar.

Wallace, entrei em contato com a obra do Dreyer recentemente, assim como já tava na hora de ver Bonequinha de Luxo. Mas nunca é tarde, nao? Aliás, existe uma gama de outros cineastas importantes mundialmente os quais ainda nao conheço. Mas vamos fazendo isso aos poucos e na medida do possível, sempre equilibrando com os filmes atuais.