sábado, 27 de fevereiro de 2016

Previsões para o Oscar 2016


Para entrar no jogo das especulações, comento aqui as principais indicações ao Oscar deste ano, cuja premiação acontece no domingo. Há tempos que as principais disputas (filme e direção) não eram tão acirradas, enquanto as demais seguem o fluxo da lógica das barbadas. No geral, me parece uma edição bem fraca em termos de candidatos, traço revelador das políticas de lobby da indústria cinematográfica hollywoodiana, deixando muito filme interessante de fora, além de candidatos melhores em muitas categorias. Em negrito, aponto o filme que acredito sair vencedor e abaixo minha ordem de preferência em cada categoria.


Melhor Filme

A Grande Aposta
Brooklyn
Mad Max - Estrada da Fúria
Perdido em Marte
Ponte dos Espiões
O Quarto de Jack
O Regresso
Spotlight - Segredos Revelados

Quando parecia que Spotlight vinha com tudo para vencer filme e direção, a coisa se complicou nas últimas semanas. A Grande Aposta ganhou prêmio importante do sindicato de produtores, mas O Regresso também vem crescendo nas apostas. A disputa está entre os três. Curioso porque nenhum deles parece chega perto da maestria insana que é Mad Max, de longe o favorito de muita gente, mas é demais para a Academia premiar um blockbuster, mesmo um de tom autoral. No fundo, eu queria acreditar numa vitória de Spotlight, mas hoje apostaria n’O Regresso.

Ordem de preferência: Mad Max – Estrada da Fúria, Ponte dos Espiões, Brooklyn, O Quarto de Jack, Spotlight - Segredos Revelados, Perdido em Marte, O Regresso, A Grande Aposta.


Melhor Diretor

Adam McKay (A Grande Aposta)
George Miller (Mad Max: Estrada da Fúria)
Alejandro González Iñárritu (O Regresso)
Tom McCarthy (Spotlight - Segredos Revelados)
Lenny Abrahamson (O Quarto de Jack)

Antes de mais nada, que categoria fraca! Só mesmo George Miller parece ter méritos suficientes para estar aqui e ganhar. Mas Iñárritu, que me parece o mais pretensioso cineasta da lista, o que menos merecia levar, é justo o favorito. Abrahamson, mesmo dentro da estética do filme indie, conduz muito bem as coisas, assim como McCarthy é bem clássico, apenas correto. McKay tenta reinventar a roda e só sabe fazer gracejo. A pergunta que não quer calar: cadê Haynes, Tarantino e Spielberg aqui? Bola fora da Academia.

Ordem de preferência: George Miller, Lenny Abrahamson, Tom McCarthy, Adam McKay, Alejandro González Iñárritu.


Melhor Ator

Eddie Redmayne (A Garota Dinamarquesa)
Matt Damon (Perdido em Marte)
Leonardo DiCaprio (O Regresso)
Michael Fassbender (Steve Jobs)
Bryan Cranston (Trumbo: Lista Negra)

Parece uma sessão de descarrego. Tudo indica que Leonardo DiCaprio, finalmente, por todos os santos e orixás, vai levar para casa a sonhada estatueta, merecida já há muito tempo. Uma pena que ela venha agora por um trabalho um tanto forçado de atuação, muito embora me parece que exista situações de muita força dramatúrgica ali (os momentos mais sutis de sua composição). Enfim, não tem para ninguém, além de que essa é mais uma categoria super fraca. Redmayne fazendo caras bocas (com as quais ele já ganhou um Oscar), Damon sendo somente carismático e Cranston sendo correto. Só Fassbender que parece se debater mais com um texto rico que lhe dá boas substâncias.

Ordem de preferência: Leonardo DiCaprio, Michael Fassbender, Matt Damon, Bryan Cranston, Eddie Redmayne


Melhor Atriz

Charlotte Rampling (45 Anos)
Saoirse Ronan (Brooklyn)
Cate Blanchett (Carol)
Jennifer Lawrence (Joy: O Nome do Sucesso)
Brie Larson (O Quarto de Jack)

Aqui as coisas são bem melhores. Curioso pensar na quase novata Brie Larson liderando as bolsas de aposta e se consagrando como vencedora, o que seria bem digno para o trabalho que faz. Também a jovem Ronan, depois da promessa que foi em Desejo e Reparação, mostra que cresceu e amadureceu como atriz num desempenho louvável. Mas são as veteranas Rampling e Blanchett quem mais mereciam aqui, nos entregando composições maduras de mulheres que confrontam seus desejos. Lawrence só dá as caras porque é queridinha da Academia, num desempenho – e filme – vergonhoso.

Ordem de preferência: Charlotte Rampling, Cate Blanchett, Brie Larson, Saoirse Ronan, Jennifer Lawrence.


Melhor Ator Coadjuvante

Sylvester Stallone (Creed: Nascido para Lutar)
Christian Bale (A Grande Aposta)
Mark Rylance (Ponte dos Espiões)
Tom Hardy (O Regresso)
Mark Ruffalo (Spotlight - Segredos Revelados)

Outra “justiça” que a Academia pretende fazer é premiar Stallone, ele que volta ao mítico personagem Rock Balboa, que lhe rendeu fama e certo prestígio. É uma bela composição, mas que fica aquém de seu maior rival na categoria, Rylance. Hoje fico com Stallone, embora não me surpreenderia com uma vitória do segundo. Os demais vão do afetado – Bale e Hardy – ao correto com cena para dar show – Ruffalo.

Ordem de preferência: Mark Rylance, Sylvester Stallone, Mark Ruffalo, Christian Bale, Tom Hardy.


Melhor Atriz Coadjuvante

Rooney Mara (Carol)
Alicia Vikander (A Garota Dinamarquesa)
Kate Winslet (Steve Jobs)
Jennifer Jason Leigh (Os Oito Odiados)
Rachel McAdams (Spotlight - Segredos Revelados)

De cara, as presenças aqui de Vinkander e Mara deixam a categoria estranha, pois ambas são protagonistas de seus respectivos filmes. Mas a Academia e os estúdios pensam politicamente. Mara me parece a melhor aqui, atuação de minimalismos intensos. Mas a vitória parece rondar Vinkander, embora Winslet possa surpreender. Fora elas, Jason Leigh me parece a mais forte, mas com poucas chances. McAdams está sobrando, indicação dispensável.

Ordem de preferência: Rooney Mara, Jennifer Jason Leigh, Kate Winslet, Alicia Vikander, Rachel McAdams.


Melhor Roteiro Original

Divertida Mente (Pete Docter, Meg LeFauve, Josh Cooley, Ronnie del Carmen)
Ex-Machina: Instinto Artificial (Alex Garland)
Ponte dos Espiões (Matt Charman, Ethan e Joel Coen)
Spotlight - Segredos Revelados (Josh Singer e Tom McCarthy)
Straight Outta Compton - A História do N.W.A. (Jonathan Herman e Andrea Berloff)

Se Spotlight realmente perder o prêmio de melhor filme que ele vinha cercando há tempos, roteiro parece ser uma ótima consolação. E mesmo merecido por se tratar de uma pesquisa cuidadosa e madura, sobre temas complicados (pedofilia e jornalismo), muito embora os roteiros de Divertida Mente e Ex-Machina sejam bem mais criativos e inteligentes. Talvez a animação possa surpreender, ou mesmo uma possível vitória para Straight Outta Compton, depois da polêmica sobre a não indicação de nenhuma pessoa negra este ano, pode pesar para os votantes.

Ordem de preferência: Divertida Mente, Ex-Machina: Instinto Artificial, Ponte dos Espiões, Spotlight - Segredos Revelados, Straight Outta Compton - A História do N.W.A.


Melhor Roteiro Adaptado

Brooklyn (Nick Hornby)
Carol (Phyllis Nagy)
A Grande Aposta (Charles Randolph e Adam McKay)
Perdido em Marte (Drew Goddard)
O Quarto de Jack (Emma Donoghue)

Também parece certo que A Grande Aposta leve esse aqui, como confirmação do quanto a Academia gosta do filme, vindo crescendo nas apostas e nos outros prêmios que já levou. Tirando Perdido em Marte, todos os demais me parecem fortes roteiros, sendo O Quarto de Jack um possível azarão. Mas o humor ácido e irreverente de A Grande Aposta, para falar de crise econômica, é, de fato, um diferencial do longa.

Ordem de preferência: Carol, Brooklyn, O Quarto de Jack, Perdido em Marte, A Grande Aposta.


Melhor Filme Estrangeiro

O Abraço da Serpente (Colômbia)
Cinco Graças (França)
O Filho de Saul (Hungria)
A War/Guerra (Dinamarca)
O Lobo do Deserto (Jordânia)

É mesmo um saco essa coisa de “filme de holocausto” já chegar como favorito pleno somente por sua escolha temática. O Filho de Saul é certo como vencedor aqui, numa categoria um tanto fraca – o próprio filme me parece bem maneirista. O Abraço da Serpente merecia muito mais, enquanto os demais me soam concorrentes menores, menos A War, que me parece mais forte e digno.

Ordem de preferência: O Abraço da Serpente, A War, Cinco Graças, O Filho de Saul, O Lobo do Deserto.


Melhor Documentário

Amy
Cartel Land
O Peso do Silêncio
What Happened, Miss Simone?
Winter on Fire: Ukraine’s Fight for Freedom

Vi somente três filmes aqui: Miss Simone?, O Peso do Silêncio e Amy, este último tendo ganhado grande parte dos prêmios prévios e o favorito para levar. A passagem avassaladora e polêmica de uma personalidade adorada do público parece irresistível, apesar do filme trabalhar muito bem e com riqueza as imagens de arquivo. Se há um azarão aqui seria Cartel Land.

Ordem de preferência: Amy, O Peso do Silêncio, What Happened, Miss Simone?.


Melhor Animação

Anomalisa
Divertida Mente
As Memórias de Marnie
O Menino e o Mundo
Shaun, O Carneiro

Já aqui temos a melhor categoria desta edição, todos os filmes são ótimos. Mas Divertida Mente é, mais uma vez, a confirmação do triunfo da Pixar no campo da animação, um trabalho adorável de empatia, emoção, criatividade e maturidade. Meu preferido é O Menino e o Mundo e sua bela crônica do olhar infantil sobre o mundo ao redor, mas já é uma vitória do Brasil o filme ser indicado. Há também o belo retrato humanista de gente de carne e osso feito em Anomalisa, ou a melancolia doce de As Memórias de Marnie, ou a diversão inteligente de Shaun, o Carneiro. Qualquer um que vencesse seria bem-vindo.

Ordem de preferência: O Menino e o Mundo, Anomalisa, Divertida Mente, As Memórias de Marnie, Shaun, O Carneiro.


Meu ranking geral:

Mad Max - Estrada da Fúria ****½
Carol ****
Os Oito Odiados ****
O Abraço da Serpente ****
O Menino e o Mundo ****
Anomalisa ****
Ponte dos Espiões ****
Star Wars: O Despertar da Força ****
Ex-Machina: Instinto Artificial ***½
Brooklin ***½
O Peso do Silêncio ***½
O Quarto de Jack ***½
Divertida Mente ***½
Amy ***½
As Memórias de Marnie ***½
A War ***½
What Happened, Miss Simone? ***½
Shaun, O Carneiro ***½
Steve Jobs ***
Spotlight - Segredos Revelados ***
45 Anos ***
007 Contra Spectre***
Creed: Nascido para Lutar ***
Straight Outta Compton – A História do N.W.A. ***
Perdido em Marte **½ 
Cinco Graças **½
Sicario: Terra de Ninguém **½
O Filho de Saul **½
A Grande Aposta **½
O Regresso **½
O Lobo do Deserto **½
Cinderela **
A Garota Dinamarquesa **
Trumbo – Lista Negra *½
Joy – O Nome do Sucesso *½

2 comentários:

Elizio Chiacchio Ferraz Alves disse...

Como sempre, ótimo post.
Gosto de o menino e o mundo, mas divertidamente é muito bem feitinho. Se fosse em outro ano.

Rafael Carvalho disse...

Elizio,

Gosto do Divertida Mente, mas O Menino e o Mundo é muito bem feito também, quase todo artesanal, animação tradicional, com um roteiro incrível. Sou vidrado no filme.